domingo, 4 de janeiro de 2009

Por entre trevas

Hoje na liturgia católica em Portugal contemplamos esses magos míticos que são uma parábola sobre como caminhar em tempos difíceis, tenebrosos, desesperançados e carregados de dúvidas como os nossos.
O fascinante na sua aventura foi que se puseram em caminho não porque viram uma estrela mas, pelo contrário, viram uma estrela porque se puseram em caminho. Nas dificuldades não vale a pena ficar parado, nada fazer à espera que do céu desça a salvação. É essencial lutar, arrancarmo-nos da nossa passividade e libertarmo-nos dos nossos medos para buscarmos o sentido e a ardência da alma, típica dos corações crentes. É um caminho duro, desértico, rodeado de escuridão e longo porque é sempre longo o caminho quando caminhamos entre dúvidas e trevas.
Chegados à recta final do Natal é necessário diagnosticar o nosso estado pessoal. Aproveitemos o exemplo dos Magos: Estamos cansados e vazios ou renovadamente entusiasmados caminhando com os pés bem firmes no nosso tempo? Vamos deixar de novo que o ritmo da cidade dos domine ou procuraremos a salvação na simplicidade, na temperança, num caminho diferente ao do tempo? Esvaziaremos os nossos tesouros de tudo aquilo que nos impede de caminhar ou continuaremos a atulharmo-nos de superficialidades?
Que Deus nos ajude a seguir por outro caminho para não regressarmos ao encontro de Herodes.

2 comentários:

Grupo de Jovens disse...

O Advento e Natal foram períodos férteis o suficiente.
Posso, pois, afirmar que servirão de orientação no caminho que se segue, e claro, na tentativa permanente de seguir fora do trajecto de "Herodes"!
Obrigada, pelo seu contributo deste Advento e Natal, foi muito especial...

nuno_mkt disse...

Na mensagem anterior (2009)referi que as expectativas que se criam para 2009, são fruto das atitudes do Homem. Mais uma vez estamos perante a palavra atitude (acção, dinamismo, procura, melhoria continua, força, vontade...), agora tudo depende do sentido que damos a esta forma de ser e estar.
Olhando para os magos, acredito que seja o melhor caminho, sendo para isso necessário mudar de direcção, mudar de vida, saindo da auto-estrada desta vida e entrando na ruela da Vida.
Nunca ninguém disse que era fácil, mas só assim é que se conquista o verdadeiro tesouro.