sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Sintra V - Quinta da Regaleira

A quinta da Regaleira é uma obra mistérica, fantasiosa, simbólica e, por vezes, fantasmagórica. O Palácio, a capela e os jardins espelham um plano rigoroso idealizado pelo seu proprietário, António Carvalho Monteiro, e pelo arquitecto Luigi Manini (Palácio do Buçaco). Dizem os estudiosos que todo o conjunto revela a ideologia e a estética do seu proprietário influenciadas (romantismo) por mitos templários, maçónicos e gregos.
Um dos mais impressionantes e enigmáticos espaços do jardim é o poço iniciático: uma escadaria em espiral afunda-se na terra (27 metros) e ao longo do seu percurso saem túneis escuros que vão ter a lugares simbólicos do jardim. Há uns anos tinha-se que percorrer esses túneis na escuridão completa, guiados pelo vento e pela ténue luz da sua saída.
Qualquer que fosse a intenção dos seus autores, este poço faz-me recordar o Homem que é chamado a percorrer o seu interior até ao mais profundo e escuro de si próprio para aí encarar corajosamente os seus fantasmas, as suas facetas mais tétricas, os seus medos mais enraizados. Só assim, se compreenderá e descobrirá que é na assunção do que é que se pode descobrir a largura e a profundidade do amor de Deus. De lá de baixo, olha-se o céu e, percebendo-se a distancia a que estamos d`Ele, descobrimos a falta que a Sua luz nos faz e de que, ainda assim, Ele nos ilumina e encaminha para o alto ou para o “jardim” que é o mundo (a vida) que ele nos deu.

2 comentários:

mariliaxana disse...

olá
ao falar da quinta da regaleira que pessoalmente não conheço...fez-me relembrar o livro Codex 632 de José Rodrigues dos Santos, em que o autor descreve a beleza e o misticismo dos jardins e de toda quinta .xana

Rui Rebelo disse...

Um lugar singular!