domingo, 15 de fevereiro de 2009

Marginalizados

Os leprosos no tempo de Jesus era o maior exemplo dos marginalizados pela sociedade e pela religião. Esta, apoiada no livro do Levítico, impunha que vivessem à parte de todos e assumissem a sua condição impura.
O leproso do Evangelho de hoje vence corajosamente os constrangimentos da lei e vai ter com Jesus e prostrado diz-lhe: Se quiseres... Vai ter com o Mestre porque espera dele acolhimento e não repulsa. Não vai ter com os sacerdotes porque eles, amarrados aos ditames da lei, nenhuma novidade lhe trazem a não ser a esperada marginalização.
Jesus, que sabe que uma lei que marginaliza e desampara nunca deve ser cumprida, comovido, com as entranhas a doer-se estende a mão e toca na pele contaminada, "impura", podre e diz: quero...
Hoje, apesar da nossa indiferença, ainda são muitos os marginalizados social e eclesialmente que, vencendo todas as leis iníquas, todas as indiferenças, todas as insensibilidades, vêm até nós Igreja e dizem-nos: se quiseres podes acolher-me, amar-me, curar-me... Divorciados, recasados civilmente, uniões de facto, mães solteiras, mulheres vítimas de violência doméstica, homossexuais, desempregados, marginais, drogados, doentes com SIDA, alcoólicos, débeis mentais vêem corajosamente ter connosco Igreja, crentes que aquele Jesus habita entre e em nós, e suplicam-nos: se quiserdes...
Que resposta damos? Continuamos agarrados a leis desumanas que desintegram ainda mais quem já está desintegrado? Recusamos sacramentos quando eles são o remédio para as nossas enfermidades? Compadece-mo-nos, estendemos as mãos, tocamos-lhes e dizemos queremos, vem para o nosso meio, sê feliz connosco, grita por todo lado que há quem te queira e te ame?
Um discípulo de Jesus, aquele que já fez a experiência do seu amor, aquele que se ajoelha todos os domingos diante do corpo de Cristo e lhe diz: sou pecador, sou doente, cura-me. Como pode não acolher os marginalizados de hoje?? Das duas uma: ou nunca experimentou o toque do Mestre ou deixou que o fariseu que há em todos nós vencesse desgraçadamente.

Para quem quiser voltar a escutar o Evangelho de hoje com os olhos no mundo clique já a seguir (a tradução brasileira é muito fraquinha mas vale a pena pelas imagens e o pelo sentido):
oevangelhodehoje



2 comentários:

Salete disse...

A expressão chave é: "...se quiseres..."
A resposta, infelizmente, nem sempre é o "quero" repetido pelo Mestre.
Como se ignoressemos como termina o evangelho... ou como actuou ELE... ou ainda, quem são os leprosos dos dias de hoje...
Ou simplesmente, porque as leis e as regras falam mais alto, quase parecem pedir-nos que esqueçamos a resposta dada por Jesus, apenas em relação a alguns, os seleccionados que podem ser afastados!
Desejo responder "QUERO".
Saber perceber quem são os leprosos de hoje que se aproximam de mim...
Desejo apagar, cada vez mais, o fariseu que sei habitar em mim e que me impede de dizer "quero" todas as vezes que desejaria!

mariliaxana disse...

Infelizmente nos tempos de hoje há muitos "leprosos",que são os ditos excluídos porque não possuem ou não cumprem as ditas regras que a sociedade nos "obriga" a cumprir ...
Desta forma,é fácil encontrar-se diversos fariseus...
Mas aqueles que se arriscarem a dizer "Eu quero" nesto tempo de hoje têm de ultrapassar muitos obstáculos ...podendo a vir a ser excluídos...
Eu sei um bocado o que é isso pelo facto de assumir uma relação com uma pessoa especial...
Eu não fiz como diz a sociedade, não cumpro as ditas normas...
Vamos ter a coragem de dizer mais vezes "Quero" e irmos contra a maré do que sermos arrastados na corrente!