quinta-feira, 26 de março de 2009

A voz de um não crente

Não tenho consigo manter este espaço actualizado por ainda andar à procura da melhor organização dos meus dias em conjugação com o que a faculdade e outras solicitações me vão pedindo e exigindo. Na verdade deveria ter colocado um comentário à visita do papa a África, mas não gosto de andar atrás da agenda mediática, que coloca no mesmo saco Lucílios, crise económica, vips, Papa, etc. E que não se cansa de sublinhar o assessório esquecendo-se do essencial.
Deixo sem mais comentários, uma transcrição da revista Brotéria tirada desse baú de novidades que é o site do Secretariado Nacional da Pastoral Cultural. Esse texto é uma citação de um não crente, que o autor não identifica. Transcrevo-a porque nela encontro um coração verdadeiramente perto de Deus, um homem a exercer a sua mais nobre missão (questionar), um lutador com Deus porque coloca o olhar sobre os dias. Três atitudes esquecidas pelo homem, pelo crente, pelo irmão que somos.

Nascidos sem o ter pedido, vivendo sem saber porquê, morrendo sem receber desculpa, devemos todos suportar o mesmo percurso sem ter direito à menor explicação. Muitos não se colocam a questão. São provavelmente os mais felizes. Outros têm respostas completamente feitas, bastante lisas, indiscutíveis, que receberam ou elaboraram; acreditam nelas e têm, sem dúvida, razão para se fixarem aí. Enfim, há os que não compreendem nada, os inquietos, os angustiados, os que desde o princípio se perguntam «porquê?», considerando este mundo grotesco e grandioso, e não se satisfazem com nenhuma resposta. (...). Pertencendo a este terceiro grupo, tenho inveja dos que não têm questões e dos que só têm respostas, eu que apenas tenho questões sem respostas.”

2 comentários:

nuno_mkt disse...

Um texto com que me identifico em parte, de alguém que se questiona, de alguém que quer viver, de alguém que sente vontade e tem como objectivo reencontrar-se..., no fundo alguém que não aceita fazer parte desta sociedade facilitista, do tudo dado, sem valores, sem crenças, sem luta, sem o Amor de que eu tanto procuro. O Amor de Cristo.

Salete disse...

Questionar é já acreditar!
Quem não se questiona, quem não tem dúvidas, saberá em que acredita?
A Fé não está nas certezas dos dados adquiridos e não mais renovados... tipicos do comodismo, caminho certo para a estagnação...
Mas na procura diária de respostas, no desejo de perceber as razões do fascínio que nos queima dentro...
Em que a única certeza é o desejo do "encontro" e as pistas para o "caminho"!